SAÚDE MENTAL EM TEMPOS DE CORONAVÍRUS (COVID-19)

SAÚDE MENTAL EM TEMPOS DE CORONAVÍRUS (COVID-19)

Efeitos Psicológicos do Isolamento e Sugestões de Cuidado

 

Por: Andréa Di Pietro, Isabella Monteiro e Carolina França - psicólogas do Centro de Apoio Pedagógico e Psicológico (CAPP) do UNIFAA

 

Estamos atravessando um momento atípico provocado pela pandemia do coronavírus (COVID-19) que, além de gerar sentimentos como medo, angústia, impotência e incerteza, exige que tenhamos responsabilidade social por meio do regime de isolamento requerido coletivamente. A situação requer organização, cuidado e compromisso social. Trata-se de uma oportunidade de frear a rápida contaminação provocada pelo vírus, portanto, evitar o contato físico e a proximidade com pessoas para além daquelas entre as quais a residência é compartilhada favorece a preservação da vida de pessoas vulneráveis. Esse recolhimento tem o propósito preventivo e deve ser respeitado, no entanto é importante ficarmos atentos aos custos psicológicos que ele pode produzir. Cuidar de sua saúde mental e seu bem-estar nesse momento é tão importante quanto preservar sua saúde física.

Situações como esta que o mundo está atravessando colocam em evidência a fragilidade humana frente às forças da natureza e afetam diretamente os corpos humanos e as relações sociais. A interrupção da rotina e a perturbação na ordem das coisas, além da restrição à liberdade de circulação e das trocas sociais que a pandemia do novo coronavírus impõe, têm produzido reflexão acerca do funcionamento do mundo contemporâneo e requerido invenções de novos modos de existência que possibilitem a adaptação do homem ao cenário que se constituiu.

Diante disto, as psicólogas do Centro de Apoio Pedagógico e Psicológico (CAPP), Andréa Di Pietro, Isabella Monteiro e Carolina França elaboraram este material, a fim de ajudar o aluno do UNIFAA a cuidar de sua saúde mental e a lidar com as dificuldades emocionais que o período de incertezas e de isolamento social pode gerar. É válido esclarecer que não há uma receita mágica nem mesmo única que possa auxiliar a todos; trata-se de um material que visa a oferecer ferramentas para que o aluno possa encontrar seus próprios meios de lidar com as dificuldades que surgirem durante o período de isolamento.

Manter-se informado é importante, mas o excesso de informações pode gerar preocupação excessiva e injustificada, elevando os níveis de ansiedade. Não espere que o fluxo contínuo de notícias e novas informações possam lhe apaziguar, a maioria delas apenas aumentará sua preocupação. Banalizar a situação ou ignorá-la também não irá lhe acalmar; apenas as estratégias de cuidado de si e do outro e as medidas de precaução poderão fazê-lo. Procure reservar horários específicos e canais confiáveis para acessar as notícias do dia e evite correntes de textos e mensagens de áudio com informações inverídicas e sensacionalistas.

Somos seres sobretudo sociais e este é um dos motivos pelos quais o isolamento pode nos perturbar tanto. No momento em que uma pandemia afeta a todos de maneira democrática, isto é, independente de classe social, cor, gênero e etc., nosso senso de pertencimento a um coletivo pode ser potencializado e produzir solidariedade e união entre as pessoas. Lembre-se que restringir o contato físico entre as pessoas não significa limitar o contato social. Mantenha-se conectado com seus amigos e familiares por e-mail, mídia social, videoconferência e telefone. As trocas sociais e o clima altruísta poderão ter efeitos apaziguadores na angústia. Ninguém precisa atravessar este momento de forma totalmente solitária.

Esforce-se para manter ao máximo sua rotina. Programe seus dias e organize suas atividades respeitando seus horários habituais de refeições e de sono. Com a implementação do Período Letivo Especial, divida seu tempo para assistir aulas e fazer as atividades propostas, mas também para o estudo regular. Procure garantir um ambiente silencioso e livre de fatores de distração para estes momentos.

 

Aproveite os intervalos livres para realizar tarefas em sua casa que estavam pendentes. Este é um bom momento para você arrumar seu armário, as estantes ou mudar os móveis da casa de lugar, por exemplo. Aproveite para ler livros que ainda não foram lidos ou organizar seus estudos e rever conteúdos passados. Mas, atenção, não exagere: não transforme as tarefas pendentes em novas obrigações que lhe trarão mais mal-estar à medida que não puderem ser realizadas. A situação de pandemia pode gerar uma sensação de “agora ou nunca”, mas tenha em mente que a ela é passageira e irá se normalizar.

 

Com a restrição de circulação e a suspensão das atividades coletivas, você terá mais tempo livre do que o habitual. Momentos não preenchidos por atividades podem produzir sentimento de culpa e desânimo. É importante você ter em mente que não é preciso ser produtivo ou realizar atividades o tempo todo. Reserve pequenos intervalos dedicados ao nada, ao vazio, sem permitir que isso lhe pareça um problema ou uma “perda de tempo”.

Considerando que a saúde mental é indissociável da saúde física, procure cuidar também de seu corpo. Faça exercícios regularmente, mantenha rotinas regulares de sono e busque ingerir alimentos saudáveis. Com o aumento da ansiedade que resulta do isolamento, é normal que você busque mais por comida do que em outros momentos. Não se culpe em demasiado por isso, mas saiba que ter opções saudáveis na geladeira e na dispensa pode lhe ajudar. Lembre-se que o uso excessivo e prolongado de álcool e outras drogas provoca ou agrava sintomas depressivos e transtornos ansiosos.

Seja em sua rotina regular, seja na nova rotina que você criará para atravessar o momento de isolamento, é imprescindível para sua saúde mental que você realize atividades que lhe causem prazer. Neste ponto, cada um saberá ou poderá descobrir que tipos de atividades promovem sentimentos prazerosos para si. Jogos, música, séries e filmes, pintura, escrita, leitura ou desenho são algumas das opções de atividades que podem ser feitas em casa e costumam estar associadas ao prazer e ao relaxamento.

Ao final deste documento, apresentamos uma lista de sugestões com algumas atividades artístico-culturais que podem ser realizadas de forma online para quem se interessar. Aproveite!

 

Os sentimentos de mal-estar despertados pelo isolamento fazem parte de uma resposta normal do ser humano. É natural que você viva momentos ou dias de tristeza e desânimo, no entanto, caso considere seu mal-estar demasiado intenso e/ou prolongado, você pode procurar ajuda profissional. O Conselho Federal de Psicologia flexibilizou as regras para autorização de atendimentos por meio de tecnologias de informação e comunicação nos meses de março e abril, a fim de facilitar o acesso da população aos serviços psicológicos durante a situação de pandemia.

 

No UNIFAA, a equipe do Centro de Apoio Pedagógico e Psicológico (CAPP) está realizando atendimento via chamada de vídeo de segunda a sexta-feira. Para agendar um horário, basta enviar um e-mail para capp@faa.edu.br informando seu nome completo, celular com DDD, RA, e-mail, dia e horário em que gostaria de ser atendido. Nossos atendentes retornarão entrarão em contato para realizar a marcação.

  

GOSTOU DO CONTEÚDO? BAIXE O E-BOOK COMPLETO QUE PREPARAMOS PARA VOCÊ: CLIQUE AQUI